Título:
Delphis Fonseca, Curso de Apresentador de TV, Produção de Videobook, Curso de Locutor
Dirección:
http://www.delphis.com.br
Descripción:
Curso de Apresentador de TV, Curso de Locução voltado a profissionais Liberais, Jornalistas, Publicitários, Executivos, Políticos. Produção de Videobooks para Modelos, Atores e Apresntadores.
Palabras clave:
Curso de Apresentador de TV, Curso de Locutor, Produção de Videobook, Coaching em Comunicação
Código de idioma:
en
Autor/a:
MKII Corporation
Colaborador/a:
Delphis Fonseca
Editor/a:
Meu Admin
Derechos:
Delphis Fonseca
Fecha de creación:
2013-10-01
Recurso relacionado:
Curso de Apresentador de TV
Recurso relacionado:
Curso de Locução para Rádio e TV
Siga-nos Siga-me no Facebook Siga-me no Twitter Siga-me no Youtube
Artigos

Quando Está a Sua Vida?

Há quem diga que "somos feitos de nossas lembranças." Isso é muito bonito e poético, verdade. Mas, é mentira, ou um ledo engano.

Atualizado em 1/12/2013


Quando Está a Sua Vida?
O poeta Gonzaguinha cantou a vida. Citando fatos de "alegria ou lamento" interpretou a visão de muita gente sobre essa passagem por aqui. Retratou a confusão que há entre aquilo que estão vivendo e sua própria vida.
Repare que a definição popular de vida fica sempre sujeita ao próprio estado de humor das pessoas diante do resultado de suas experiências. Se trabalham muito, ela é dura. Se o sócio lhes aplicou um golpe, então passa a ser injusta. Ao "perder" alguém que ama, a vida se torna absolutamente cruel e mais tudo o que já foi mencionado, junto.
Essa maneira de pensar e agir é suscetível a muitos equívocos emocionais para ser considerada um padrão de avaliação confiável para a vida. Comumente é pessimista. Considerando uma determinada situação como sendo muito difícil de ser superada, imagina-se que não haja solução para tal. Mas sempre há.
A vida é dinâmica, ela está sendo tudo isso, enquanto tem constantemente como pano de fundo a perfeição. 
Há quem diga que "somos feitos de nossas lembranças." Isso é muito bonito e poético, verdade. Mas, é mentira, ou um ledo engano. Não há nada mais óbvio do que dizer que a lembrança, seja boa ou ruim, é constituída de acontecimentos que já passaram, portanto, não existem mais nem nunca mais voltarão a existir. Sei que isso pode soar muito duro para algumas pessoas que costumam conservar suas lembranças acesas utilizando-a como combustível para viver, mas é assim. 
Ao se lembrarem de fatos de sua vida as pessoas dizem "parece que foi ontem." Não parece, foi ontem, mas agora é hoje. E hoje tudo pode ser melhor do que jamais foi, acredite. 
Se algumas lembranças estão servindo para que você se refaça de algum sentimento que ainda não consegue controlar, funcionando como uma pausa para descanso, estão sendo válidas. Mas procure aumentar gradativamente o espaço em sua mente para o tempo presente. Aprenda a lidar com esse momento, é a partir dele que sua vida recomeça. Olhe para frente e busque seu caminho.
Temos memória, e por isso a lembrança, é natural. Nunca as negue, mas recorra a elas somente se forem acrescentar algo de positivo em sua vida hoje. Do contrário você estará optando por iludir-se e sofrer.
É preciso cuidar-se para que as lembranças não se apossem de você. E isso pode ocorrer quando desrespeitamos o tempo presente e passamos a viver fora dele, ou em alternância descontrolada entre épocas passadas e futuras. É viver entre a realidade e uma fantasia demasiadamente prejudicial ao nosso crescimento. Essa energia se aproveita das fraquezas humanas e, travestida de alegria, melancolia, sofrimento ou do que quer que elas signifiquem para seus evocadores, faz com que acreditemos que somos ela própria. Nessa confusão de identidade podemos nos desviar do caminho produtivo à nossa frente, nos perder numa floresta de ilusões.
O fruto das lembranças são suas conseqüências, fatos que geraram quando existiram naquele tempo que se chamava presente. Eles, sim, são reais e têm efeitos hoje. Porém, além deles, sua vida vai sendo feita de desdobramentos constantes de eventos atuais.
E bem nesse ponto está a sua força.
Chamo a atenção para a sutileza da expressão vai sendo feita. Ela é a que define com mais exatidão algo que as palavras, algumas vezes, têm dificuldade de expressar, chegando a fazer com que coisas muito diferentes, soem como sendo parecidas e até iguais. Esse detalhe é fundamental para o entendimento das constantes transformações que participam do processo de vida. O fatalismo só existe em algumas mentes humanas.
Vivemos agora o momento de aprender a lidar com as lembranças, e não fugir ou fingir que não temos necessidade delas. Quando surgirem precisamos, sim, convertê-las em energia saudável para nossa vida, para nossa evolução. Isso é feito através da análise dos resultados de seus efeitos hoje, sem julgamento, nem punição, mas com absoluto discernimento de valores.
Qualquer que seja o impacto que algo do passado possa ter causado em você, ele já acabou, se foi. É preciso amadurecer e seguir seu caminho. Os fatos que você vivenciou até agora e seus resultados, não devem ser considerados ferimentos abertos sem cicatrização e sim, setas sinalizadoras. Por isso, atenção para onde apontam.
Jamais poderemos fazer algo no passado. O presente é a matéria prima de nossa vida. Devemos aproveitá-lo com consciência, atenção e respeito.
Você pode fazer agora tudo o que deseja para tornar esse o melhor de todos os seus momentos. Depois vá replicando essa atitude em todas as situações e verá o mundo se transformando diante de seus olhos. 
É a beleza de todo esse processo dinâmico permeado de possibilidades infinitas.
O poeta tem razão. No final das contas, a definição mais simples e direta continua vindo da "pureza da resposta das crianças: é a vida, é bonita e é bonita!".
O poeta Gonzaguinha cantou a vida. Citando fatos de "alegria ou lamento" interpretou a visão de muita gente sobre essa passagem por aqui. Retratou a confusão que há entre aquilo que estão vivendo e sua própria vida.

Repare que a definição popular de vida fica sempre sujeita ao próprio estado de humor das pessoas diante do resultado de suas experiências. Se trabalham muito, ela é dura. Se o sócio lhes aplicou um golpe, então passa a ser injusta. Ao "perder" alguém que ama, a vida se torna absolutamente cruel e mais tudo o que já foi mencionado, junto.
Essa maneira de pensar e agir é suscetível a muitos equívocos emocionais para ser considerada um padrão de avaliação confiável para a vida. Comumente é pessimista. Considerando uma determinada situação como sendo muito difícil de ser superada, imagina-se que não haja solução para tal. Mas sempre há.
A vida é dinâmica, ela está sendo tudo isso, enquanto tem constantemente como pano de fundo a perfeição. 

Há quem diga que "somos feitos de nossas lembranças." Isso é muito bonito e poético, verdade. Mas, é mentira, ou um ledo engano. Não há nada mais óbvio do que dizer que a lembrança, seja boa ou ruim, é constituída de acontecimentos que já passaram, portanto, não existem mais nem nunca mais voltarão a existir. Sei que isso pode soar muito duro para algumas pessoas que costumam conservar suas lembranças acesas utilizando-a como combustível para viver, mas é assim. 
Ao se lembrarem de fatos de sua vida as pessoas dizem "parece que foi ontem." Não parece, foi ontem, mas agora é hoje. E hoje tudo pode ser melhor do que jamais foi, acredite. 

Se algumas lembranças estão servindo para que você se refaça de algum sentimento que ainda não consegue controlar, funcionando como uma pausa para descanso, estão sendo válidas. Mas procure aumentar gradativamente o espaço em sua mente para o tempo presente. Aprenda a lidar com esse momento, é a partir dele que sua vida recomeça. Olhe para frente e busque seu caminho.

Temos memória, e por isso a lembrança, é natural. Nunca as negue, mas recorra a elas somente se forem acrescentar algo de positivo em sua vida hoje. Do contrário você estará optando por iludir-se e sofrer.
É preciso cuidar-se para que as lembranças não se apossem de você. E isso pode ocorrer quando desrespeitamos o tempo presente e passamos a viver fora dele, ou em alternância descontrolada entre épocas passadas e futuras. É viver entre a realidade e uma fantasia demasiadamente prejudicial ao nosso crescimento. Essa energia se aproveita das fraquezas humanas e, travestida de alegria, melancolia, sofrimento ou do que quer que elas signifiquem para seus evocadores, faz com que acreditemos que somos ela própria. Nessa confusão de identidade podemos nos desviar do caminho produtivo à nossa frente, nos perder numa floresta de ilusões.

O fruto das lembranças são suas conseqüências, fatos que geraram quando existiram naquele tempo que se chamava presente. Eles, sim, são reais e têm efeitos hoje. Porém, além deles, sua vida vai sendo feita de desdobramentos constantes de eventos atuais.
E bem nesse ponto está a sua força.

Chamo a atenção para a sutileza da expressão vai sendo feita. Ela é a que define com mais exatidão algo que as palavras, algumas vezes, têm dificuldade de expressar, chegando a fazer com que coisas muito diferentes, soem como sendo parecidas e até iguais. Esse detalhe é fundamental para o entendimento das constantes transformações que participam do processo de vida. O fatalismo só existe em algumas mentes humanas.

Vivemos agora o momento de aprender a lidar com as lembranças, e não fugir ou fingir que não temos necessidade delas. Quando surgirem precisamos, sim, convertê-las em energia saudável para nossa vida, para nossa evolução. Isso é feito através da análise dos resultados de seus efeitos hoje, sem julgamento, nem punição, mas com absoluto discernimento de valores.

Qualquer que seja o impacto que algo do passado possa ter causado em você, ele já acabou, se foi. É preciso amadurecer e seguir seu caminho. Os fatos que você vivenciou até agora e seus resultados, não devem ser considerados ferimentos abertos sem cicatrização e sim, setas sinalizadoras. Por isso, atenção para onde apontam.

Jamais poderemos fazer algo no passado. O presente é a matéria prima de nossa vida. Devemos aproveitá-lo com consciência, atenção e respeito.
Você pode fazer agora tudo o que deseja para tornar esse o melhor de todos os seus momentos. Depois vá replicando essa atitude em todas as situações e verá o mundo se transformando diante de seus olhos. 
É a beleza de todo esse processo dinâmico permeado de possibilidades infinitas.
O poeta tem razão. No final das contas, a definição mais simples e direta continua vindo da "pureza da resposta das crianças: é a vida, é bonita e é bonita!".



Vídeos relacionados

Páginas relacionadas



Matérias Relacionadas

Veja a Lista Completa +


Curso de Locução para Rádio, Televisão, Publicidade, Vídeos, Produtos Institucionais e Eventos
Curso para Apresentador de TV
Contrate Delphis Fonseca para Locução e Apresentação de TV e Eventos
Últimas Publicações

Vídeos em Destaque




Newsletter

Receba nossos informativos
Enviando os dados ...
Erro de comunicação.
Dados enviados.


Enviar

Respeitamos a sua privacidade. Seu e-mail não será utilizado sem a sua devida autorização.
Delphis Fonseca
Quer ser um apresentador de TV? Quer aprimorar sua comunicação em público? Temos cursos de apresentador de telejornal, apresentador de televisão (talk show, variedades), narração e locução (rádio e TV), repórter, mestre de cerimônias, desenvolvimento e relacionamento pessoal e desinibição Indicado para jornalistas, atores, apresentadores, palestrantes,
políticos, advogados, profissionais liberais e equipes de vendas.
Você vai aprender a dominar a arte da comunicação
para atingir o sucesso pessoal e profissional
(11) 99829-9221


Meu Admin - Copyright © 2020-2021 - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade
Um produto da MKII Corporation (MK2)